Setembro Verde faz alerta para prevenção ao câncer de intestino

Colonoscopia é uma das formas mais eficazes de prevenir e detectar a doença de forma precoce

A campanha Setembro Verde tem como objetivo orientar a população sobre a prevenção do câncer de cólon e reto. Terceiro tipo mais frequente em homem e o segundo mais frequente em mulher, o câncer colorretal deve fazer 36.360 novas vítimas no Brasil somente neste ano, segundo estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer). São cerca de 15 mil óbitos por ano, que podem ser evitados com a detecção precoce. Uma das maneiras mais eficientes para detectar a doença é colonoscopia.

A colonoscopia, exame endoscópico do cólon e do reto, é indicada para pacientes assintomáticos a partir dos 50 anos. Pacientes com histórico de câncer de intestino na família devem começar a fazer o exame por volta dos 30 anos ou conforme orientação médica. “Pacientes com mais de 50 anos e com antecedentes familiares de câncer de intestino formam um grupo de risco para câncer de colón e reto. Sangramento intestinal, anormalidades diagnosticadas por outros exames de imagem e esclarecimentos de anemia são outras indicações para a realização do exame. A frequência depende dos sintomas e dos achados, variando em cada caso”, explica a coloproctologista da Clínica Concon, Elisângela Souza Paiva

“A colonoscopia é um exame que permite ao médico analisar a mucosa (revestimento interno) do intestino grosso e reto. Ela é indicada para identificar pólipos, tumores, inflamações, úlceras e outras alterações do órgão, e considerada um dos principais métodos de rastreamento do câncer do cólon e reto”, afirma Elisângela. De acordo com ela, durante o exame de colonoscopia, também é possível realizar procedimentos como a coleta de biópsia ou mesmo a retirada de pólipos, que são uma alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa. Em um primeiro momento, são pequenos e benignos, mas podem crescer e se tornar maligno. “Por isso, é muito importante retirá-los durante o exame”, reforça Elisângela. A colonoscopia também pode ser indicada como um método terapêutico, já que permite a cauterização de vasos sanguíneos que podem estar sangrando.

De acordo com o médico endoscopista Admar Concon Filho, a colonoscopia é feita com a introdução de um fino tubo através do ânus, geralmente, sob sedação, para um melhor conforto do paciente. “Este tubo tem acoplado a si uma câmera para permitir a visualização da mucosa intestinal e, durante o exame, pequenas quantidades de ar são injetadas dentro do intestino para melhorar a visualização”, explica. O exame costuma durar entre 20 e 40 minutos. O paciente deve ficar um período em recuperação.

Para que o médico consiga realizar a colonoscopia e visualizar as alterações, é necessário que o cólon esteja completamente limpo, ou seja, sem qualquer resíduo de fezes ou alimentos e, para isto, deve ser feito um preparo especial para o exame, que é indicado pelo médico ou clínica que irá realiza-lo.

Normalmente, o preparo é iniciado pelo menos dois dias antes do exame, quando o paciente passa a ter uma dieta de fácil digestão, a base de pão, arroz e massas brancas, líquidos, sucos sem polpa da fruta, peixe e ovos cozidos, iogurte sem frutas ou pedaços. O paciente também deve evitar leite, frutas, frutos secos, verduras, legumes e cereais.

Nas 24 horas que antecedem o exame, é indicada uma dieta líquida, para que não sejam produzidos resíduos no intestino grosso. Também é recomendado usar laxativos ou até fazer uma lavagem intestinal, de acordo com a orientação do médico. Além disso, alguns medicamentos utilizados pelo paciente podem precisar ser suspensos antes do exame, como, por exemplo, AAS, anticoagulantes, Metformina ou insulina, de acordo com a recomendação do médico. Também é necessário ir acompanhado ao exame, pois a sedação poderá deixar a pessoa sonolenta, não sendo indicado dirigir ou trabalhar após o exame.

Informações à imprensa
Capovilla Comunicação
Patrícia Capovilla
(19) 99284-1970


Setembro Verde faz alerta para prevenção ao câncer de intestino

Orientações para pacientes de outros estados

Confira todo procedimento pré e pós operatório